Grupos Beneficiados

1. Big Band Comunitária

A Big Band Comunitária UPF foi criada em 30 de abril de 2013 sob regência do maestro Rodrigo Ávila, com a finalidade de expandir o segmento artístico-cultural e musical da UPF, fortalecendo a participação de instrumentos de sopro. O grupo possui um repertório bastante variado, que vai do jazz ao samba, sempre com músicas conhecidas, enfatizado a importância da formação musical para fomentar os gêneros e estilos da música popular. Hoje a Big Band conta com 24 músicos entre acadêmicos do curso de Música e musicistas profissionais da região, integração que proporciona a troca de experiências e estreita as relações entre a Universidade e a comunidade.

Coordenador: Rodrigo Ávila

Big Band Comunitária

2. Coro Carazinho

Instituído em 1998, o Coral UPF – Carazinho, ao longo desses anos, tem atingido seu objetivo primordial, que é o de levar a música coral à comunidade e região, nas mais variadas situações e ambientes. O trabalho desenvolvido pelo coro constitui-se de um repertório de vários estilos e épocas apresentando assim um panorama diverso e abrangente da música coral, o que marcas apresentações e a presença da UPF com brilhantismo e entusiasmo, sendo sempre elogiado e reconhecido como destaque da comunidade artístico-cultural de Carazinho.

Coordenador: Ademir Camargo

Coro Carazinho

3. Coro Universitário

O Coral Universitário de Passo Fundo foi fundado em meados de 1966 numa iniciativa do então Instituto de Belas Artes, tendo mais de 44 anos de trabalho contínuo e ininterrupto. Sua linha de trabalho opta por um repertório abrangente e eclético, alternando peças do repertório tradicional, música contemporânea brasileira, arranjos sobre canções da MPB, músicas folclóricas, traditional spirtuals, músicas latino-americanas e também com a produção de alguns módulos operísticos como Carmina Burana(C. Orff), La Traviata(G. Verdi), Nabucondonosor(G. Verdi), Messias(F. Haendel) e muitos outros.

Atualmente é composto por aproximadamente 35 cantores, que nos últimos 10 anos já realizaram mais de 380 apresentações com público estimado em mais de 350.000 pessoas, salientando-se participações em eventos como o Encontro Sul-Brasileiro de Coros Universitários, Festival da Primavera de Santa Rosa, Festival da Federação de Coros do Rio Grande do Sul, Festival Internacional de Corais de Criciúma, Festival Internacional de Corais de Maringá, Festival Internacional UNICANTO de Londrina, EXPOINTER, Cantat UNISUL, Jornadas Nacionais de Literatura, Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, 8 edições do Recital Show Coral UPF, eventos acadêmicos e outros tantos de cunho sócio-cultural, recebendo aclamação da crítica artística musical e consagrando-se entre os melhores coros nacionais, atualmente um dos maiores expoentes do Canto Coral Gaúcho.

Apresenta seu repertório estruturado no ecletismo da arte coral mundial, reverenciando compositores e arranjadores que transmitem através das notas, suas mais peculiares emoções, sentimentos e grande criatividade. Neste ano ainda, estrutura estudos e amplia os horizontes operísticos trabalhando as obras L’elisir damore(G. Donizzeti) e Die lustige Witwe(F. Lehar) ambas produções da Cia Resumo da Ópera no Theatro 13 de Maio em Santa Maria-RS, cumprindo e adindo uma grande agenda artística e horizontesca, com o principal objetivo de levar prazer, alegria, entretenimento e principalmente cultura e informação através, também, dos Recitais e concertos populares, resultantes de pesquisas sobre música universal, com a finalidade de oportunizar aos espectadores uma pluralidade informativa musical, com dinâmicas cênicas, recursos de iluminação, cenografia e com intervenções instrumentais diversas.

Desde 2010 vem desenvolvendo séries de concertos com a Orquestra de Câmara UPF, participando em janeiro de 2014 do Festival Internacional SESC de Música na cidade de Pelotas como coro convidado no Concerto Sinfônico.

Coordenador: Fernando Montini

Coral Universitário UPF

4. Grupo de Danças

O Grupo de Danças UPF oferece atividades ecléticas, com um repertório com diversidade de estilos e tendências de danças, como ballet clássico ,contemporâneo, jazz dance, street dance, dança de salão. O grupo é formado por acadêmicos da universidade, e as atividades desenvolvidas no grupo, propiciam conhecimento de novas formas de arte, em especial a dança, que consiste na descoberta do movimento, do ritmo e da expressão. As atividades desenvolvidas permeiam desde a elaboração e montagem de coreografias, ensaios a apresentações do elenco artístico para a comunidade acadêmica e publico em geral.

Coordenadora: Sinara da Costa

Grupo de Danças

5. Grupo de Danças Folclóricas

Iniciado como um projeto da Faculdade de Educação Física em 1997, em sua trajetória participou dos mais diversos eventos culturais representando a Universidade de Passo Fundo e apresentando sua pesquisa folclórica através da dança de seus alunos. Procurando conhecer e divulgar a cultura dos diferentes povos que formaram nosso país e a tradição que essa influência trouxe, são apresentadas danças envolvendo culturas, raças e geografias diversas. Atualmente o grupo objetiva a pesquisa e divulgação da cultura brasileira, assim como etnias que formaram a riqueza e diversidade de nosso folclore.

A exploração e apresentação da cultura folclórica da dança do povo brasileiro propicia um espetáculo belo e rico O grupo de danças folclóricas da Universidade de Passo Fundo quer demonstrar, apresentando à comunidade universitária, municipal, regional e além das fronteiras, a capacidade de mobilização de seus alunos, professores e colaboradores na divulgação da cultura através da dança. Somam-se a isso o caráter cultural de Passo Fundo que realiza a cada dois anos um festival de Folclore que oportuniza á comunidade regional o contato com as mais diversas culturas do mundo todo, e assim a oportunidade da Universidade de Passo Fundo, com seu caráter comunitário, contribuir com a divulgação da cultura se faz necessário.

Coordenador: Luis Gustavo Maias da Silva

Grupo de Danças Folclóricas

6. Grupo de Percussão

Este projeto visa o desenvolvimento de práticas pedagógicas com o objetivo de formação na área humana, social, cultural e cientifica tendo a música/ percussão como permeadora. As realizações de tais práticas visam não somente democratizar o conhecimento acadêmico ou estreitar o relacionamento da universidade com a comunidade, mas colher informações que possam renovar constantemente os currículos e ações atualizando-os a realidade regional e nacional. Estas ações têm como objetivo o desenvolvimento integral do ser humano a todos os sujeitos participantes deste processo. O grupo de percussão atualmente é formado por acadêmicos do Curso de Música da UPF.

Coordenador: Samir Hatem

Grupo de Percussão

7. Musicografia Braille

A musicografia Braille é considerada hoje um instrumento de inclusão, tendo como principais elementos a musica e o sistema braile-método de alfabetização de cegos. A musicografia é uma aprendizagem da teoria e da prática musical através do método braile. Por meio da música, o deficiente visual tem a possibilidade de desenvolver sua capacidade e sensibilidade. No desenvolvimento do projeto serão usados os mesmos mecanismos de uma educação musical normal com exceção do braile, tendo em vista que se trata de uma educação inclusiva. Este projeto tem como objetivo norteador possibilitar a inclusão social para o cego deficiente visual, pois amplia suas possibilidades no mercado de trabalho.

Coordenador: Neri Oneide Ribeiro da Silva

Musicografia Braille

8. Núcleo Suzuki

O objetivo do método Suzuki é desenvolver o talento musical de crianças e jovens. A maneira Suzuki de ensinar é baseada em sua filosofia educacional: não é uma metodologia técnica, mas mantém suas próprias características, que a distinguem do ensino tradicional. O talento não é inato. As crianças começam cedo a participar do ensino da leitura musical, com repertório igual para todos os instrumentos, repetição constante das peças estudadas e memorização. Os efeitos que a filosofia Suzuki causa sobre os pais e as crianças manifestam-se no aprender.

“Camerata de Cordas Suzuki”

Em 2003, o projeto passou a desenvolver a Camerata de Cordas, que nasceu da necessidade de abranger a técnica interpretativa e o repertório de orquestra de cordas. É formada por alunos mais adiantados de violino e viola, que interpretam desde música barroca até música popular brasileira. Em 2010 foram somados ao grupo o instrumento de viola, e se pretende para o futuro introduzir o ciello.

Coordenadora: Reny Falleiro Dozza

Núcleo Suzuki

9. Projeto Música Brasileira e Jazz – Grupo de Choro

O projeto, propõe uma interface entre o saber acadêmico e a cultura musical da comunidade local. Os participantes realizam atividades de performance, composição, pesquisa e educação musical que contemplem o panorama cultural da região e sua integração com a diversidade da música contemporânea. Através de apresentações públicas e oficinas da música, propicia um diálogo entre manifestações musicais regionais e aquelas provenientes de outras culturas.

Coordenador: Alexandre Saggiorato

Grupo de Choro

10. Orquestra de Câmara

Grupo alicerçado na formação de orquestra de concertos, com músicos, cantores e solistas, desenvolvendo um trabalho artístico musical performático de grande enlevo musical, apresentando um contato com os mais diferentes estilos musicais do clássico ao popular, buscando uma maior aproximação dos espectadores com uma arte que pensa, cria, relaxa, transforma sujeitos e histórias.

Coordenador: Samir Hatem

Orquestra de Câmara